Páginas

segunda-feira, 21 de março de 2011

Porque desapegar é preciso...

Pratique o desapego! 


Está é a lei que vem forma de oba oba, forma de curtição e fugidinha... Não só nos relacionamentos, mas na amizade também.


O amor está tão banalizado que o foda-se é mais verdadeiro que o "eu te amo", ou, "você é importante pra mim". 


Vamos ao desapego: não confiar em ninguém, sair fugindo sem olhar pro lado e sem dar a mínima importância pro outro...Isso é o desapego, mas isso é felicidade ou vazio? Ainda não tenho uma opinião formada sobre, sei que o desapego faz doer menos, faz você acostumar-se com situações mais fáceis, mas são só teorias, teorias de pessoas que sofrem por tentar o que não condiz com sua realidade. Mas, como diz um amigo: "é tudo uma questão de origem geográfica."


Desapegar é preciso, estou tentando e cultivando essa lição, por isso vai um manual:



DESAPEGANDO-SE

Um guia prático na arte de não se importar
Por Lais Cattassini
INTRODUÇÃO
O desapego é um eterno exercício. Não é porque seguirá as regras aqui desenvolvidas que você conseguirá, de fato, se desapegar. As personalidades não deixam. O que é importante ter em mente é que não basta seguir o programa uma única vez, mas sim tornar o Manual do Desapego um estilo de vida.
Se você está certa de que é esse o caminho que quer seguir, vá em frente. Se não, pare agora mesmo.
Não adianta aplicar o exercício só para algumas situações. É preciso fazer disso uma filosofia, uma rotina. Você precisa sim mudar a sua personalidade apegada.

CAPÍTULO 1 – Foda-se
O mais importante mantra do desapego é o “Foda-se”. Aliás, esse é um mantra que deveria servir para a sua vida sempre.
Seu chefe te odeia? Foda-se!
Está chovendo lá fora e você vai despentear seu cabelo? Foda-se
Seu amigo acha sua saia feia? FODA-SE
Saber dizer foda-se é o primeiro passo para viver em harmonia com o mundo. Porque o mundo é uma merda. E não há nada que você possa fazer para mudar isso. O Bono tenta. Ele conseguiu? Não. O Al Gore tenta. E estamos aí, preferindo automóveis a metrô. Ninguém vai mudar o mundo de uma hora pra outra.
E tem aquela história de que vamos todos morrer um dia, não é? Pois é. Vamos mesmo.
Não me leve a mal. Eu realmente acredito que a gente deve fazer a diferença quanto às mudanças climáticas. Acho que todo mundo deve se motivar a mudar o mundo. Mas se você não consegue você vai fazer o quê? Sentar e chorar?
NÃO!
Você vai levantar a cabeça e gritar para o mundo: FODA-SEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
Porque se você vai morrer um dia, todo mundo também vai. E se você fez a sua parte talvez você realmente seja um dos sobreviventes que poderá olhar para toda a humanidade e falar: I TOLD YOU SO.

CAPÍTULO 2 – Eu sou mais eu
Gostar de si mesmo é um ponto fundamental na arte do desapego. Não adianta nada você odiar todo mundo se você é um bosta. Se você é um bosta nem você mesmo vai aguentar viver só com você mesmo.
Por isso, se olhe no espelho e dê risada dos seus defeitos.
Não é para olhar no espelho e dizer que você ama seu queixo, sua boca, seus olhos, seu cabelo… É para olhar e falar: Eu sou gorda, meu cabelo é feio, meu olho é torto… Por que todo mundo tem defeitos. E você precisa aceitar os seus. E amá-los.
Profundo, né?

CAPÍTULO 3 – Ninguém é tão foda
Como eu disse, todo mundo tem defeitos.
Fique com isso em mente sempre que conhecer alguém.
A gente pode estar morrendo de amores por alguém, mas tem que ter em mente tudo o que aquela pessoa tem de pior:
Ele é muito simpático, mas é feio. Ele me trata muito bem, mas demora para tomar uma atitude. Ele é perfeito para mim, mas não me quer.
Tudo tem um mas. Tudo tem um porém. Para se desapegar é importante focar no porém. O porém é justamente aquilo que você vai usar quando precisar se desapegar daquele ex grudento.
Saber os defeitos ajuda para que você também não morra de amores por alguém. Morrer de amores não é saudável.
Lembre-se, você precisa morrer de amores por você. Você gosta dos SEUS defeitos. Mas os defeitos dele são patéticos. Você se irritaria se vivesse duas semanas com uma pessoa com esses defeitos!

CAPÍTULO 4 – EU NÃO AGUENTO
Saber os defeitos das pessoas não deve te afastar delas. Deve apenas te dar um limite.
Você precisa sempre ponderar se aqueles defeitos são toleráveis ou não. Se são toleráveis, em que nível de convivência? Você aguentaria passar um final de semana com aquela pessoa? E vê-la todos os dias da sua vida? Falar ao telefone com ela te incomoda?
Essa técnica também ajuda a escolher amigos e pode muito bem ser aplicada com a maldade. Se você sabe o que você não gosta nos seus amigos, sabe qual deve ser a quantidade de vezes que vocês podem se encontra por semana para que a amizade seja duradoura.

CAPÍTULO 5 – Saiba de quem se desapegar
É muito importante que você saiba de quem se desapegar. Mas essa técnica só virá quando você tiver dominado os 4 passos anteriores desse programa super eficiente.
Família não deve ser vítima do desapego. Alguns amigos também não. É para isso que você dominou o passo descrito no capítulo 4. Você deve saber a que distância ficar para não torná-los vítimas do seu ódio.
Ame sua família, ame seus amigos, ame seu pet. Pets, aliás, não devem NUNCA ser vítimas do desapego.

CAPÍTULO 6 – Direcionamento
Falhas virão. Ninguém (nem mesmo eu) consegue ser totalmente desapegada. Se consegue é meio psicopata e isso é bom. Porque ninguém quer ser apegado a uma psicopata.
Se as falhas acontecerem é importante que você direcione a sua tristeza ou raiva ou whatever para algo.
Se você é uma pessoa violenta, tenha uma almofada, um bichinho de pelúcia vesgo e um taco de baseball sempre por perto. Um stress toy também deve funcionar.
Eu, como sou introspectiva e quieta, gosto de escolher uma música ou um filme para curar meu coração partido ou qualquer coisa semelhante.
Recomendo “Procurando Nemo”, que sempre me anima.
As músicas variam de tempos em tempos, mas eleger algo que “toque seu coração” é sempre muito útil. Em qualquer situação.



E assim, vou continuando minhas dialéticas..


Beijos,


@Juliane_Madison

2 comentários:

Victor Von Serran disse...

ainda não sei dizer se desapego é bom ou ruim....acho que para algumas situaçoes é bom e para outras ruins !


beijo

Emoções disse...

Adorei! Belo texto. Muitas verdades.
Estarei sempre por aqui. Fica na paz.